O que é e-commerce ?

O termo e-commerce vem do inglês eletronic commerce que traduzindo literalmente significa comércio eletrônico. Compreende qualquer tipo de transação comercial realizada através de dispositivos eletrônicos como computadores, tablets e smartphones.

O e-commerce iniciou com a popularização dos computadores pessoais na década de 80 mas deslanchou mesmo com a chegada da internet em meados da década de 90. Com a melhoria da conexão com a internet de banda larga o comércio eletrônico se consolidou de vez e grande parte das empresas passaram a entender a importância de vender os seus produtos pela internet.

No início os produtos que mais tiveram sucesso nas vendas online foram os livros e CDs. Isto aconteceu provavelmente pela alta demanda que tinham em grande parte do mundo, além de serem produtos compactos, padronizados, com baixo preço e fáceis de serem transportados.

Não demorou muito para que os vendedores encontrassem soluções criativas e os compradores se acostumassem com a ideia de comprar qualquer tipo de produto pela internet como eletrônicos, objetos de decoração, roupas, calçados, acessórios, cosméticos, perfumes e até mesmo alimentos.

Hoje em dia qualquer comércio pode ter a sua loja virtual sem necessidade de grandes investimentos ou conhecimentos específicos em tecnologia. Atualmente existem várias empresas especializadas nas mais diversas tarefas envolvidas com a criação e manutenção de lojas virtuais, com produtos e serviços para todos os tipos de necessidades e orçamentos.

 

TIPOS DE E-COMMERCE

Existem várias divisões sobre os tipos de e-commerce, do ponto de vista das pessoas envolvidas ou dos dispositivos utilizados. Estas divisões são apenas didáticas e não existe um consenso geral a respeito. De todo modo, com o propósito de uma melhor compreensão, é possível dividir o e-commerce nos seguintes tipos básicos:

B2B (Business to Business)

É o comércio entre empresas, foi o primeiro tipo que se destacou ainda na década de 80 antes mesmo do surgimento da internet como a conhecemos hoje. Foi um movimento mundial para se utilizar a tecnologia existente na época para agilizar os negócios e tornar as empresas mais eficientes. Com isto, as transações comerciais passaram em muitos casos a dispensar a intervenção humana, tornando-se processos totalmente automatizados.

B2C (Business to Consumer)

É o comércio entre empresas e os consumidores finais, representado pelas lojas virtuais que geralmente temos em mente quando falamos de e-commerce: Lojas Americanas, Casas Bahia, Magazine Luiza, Netshoes, Dafiti, etc . Foi necessário o surgimento da internet em meados da década de 90 para que esta modalidade começasse a crescer cada vez mais. Atualmente existem milhões e milhões de lojas virtuais vendendo todos os tipos de produtos. A tendência natural é que toda loja física tenha uma equivalente virtual e que o comércio eletrônico seja tão onipresente quanto o telefone.

C2C (Consumer to Consumer)

É o comércio entre duas pessoas físicas, geralmente possibilitado por um intermediador como o Mercado Livre, eBay e Amazon. Alguns surgiram a princípio para intermediar a compra e venda de produtos usados mas rapidamente avançaram para aceitarem também a presença de comerciantes empresariais. Estes marketplaces, como são chamados são como grandes shopping centers virtuais, que criaram uma  plataforma para permitirem que qualquer pessoa ou negócio venda online uma grande variedade de produtos geralmente em troca de uma comissão.

 

VANTAGENS DO E-COMMERCE

Não é a toa que o comércio eletrônico tem crescido ano após ano, mesmo em um cenário de crise e recessão econômica que o Brasil tem passado. São muitas vantagens em relação ao comércio físico tradicional, tanto para os vendedores quanto para os compradores:

Para o comerciante

  • Abertura mais rápida envolvendo menos decisões e pouca burocracia
  • Custos reduzidos com imóveis (dispensa ponto comercial caro, menor espaço físico)
  • Custos reduzidos com pessoal (equipe mais enxuta, sem comissão de vendedores)
  • Possibilidade de vender para todo o Brasil (e até para o exterior)
  • Loja aberta 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano

Para o cliente

  • Melhores preços e condições de pagamento (devido ao custo mais baixo de operação)
  • Facilidade de se pesquisar em várias lojas antes de comprar sem se deslocar fisicamente
  • Maior variedade de estoque, produtos, marcas e modelos do que uma loja tradicional
  • Maior chance de se encontrar um produto específico indisponível nas lojas físicas próximas
  • Possibilidade de comprar de qualquer lugar do Brasil (e até do mundo)

 

DESVANTAGENS DO E-COMMERCE

O comércio eletrônico traz algumas desvantagens em relação ao comércio físico devido ao fato de ser uma compra não presencial. Diversas tecnologias e estratégias tem atenuado e até eliminado algumas destas desvantagens. As principais dificuldades são:

Para o comerciante

  • Convencer o cliente das características e qualidade de certos tipos de produtos (roupas, calçados, cosméticos, perfumes, etc)
  • Maior risco de fraude no pagamento através de cartões de crédito (cartões roubados ou clonados)
  • Prazo de entrega para locais distantes e valor do frete principalmente para produtos de baixo valor
  • Obstáculos para a entrega de produtos perecíveis como por exemplo alimentos
  • Trocas e devoluções (em virtude do produto não ter servido ou ter chegado danificado)

Para o cliente

  • Impossibilidade de tocar, sentir a textura ou o cheiro do produto (roupas, calçados, cosméticos, perfumes, etc)
  • Não é possível pagar em dinheiro ou cheque diretamente (somente cartão ou boleto)
  • Risco de fraude (comerciante desonesto) ou não recebimento (extravio na entrega)
  • Prazo de entrega para locais distantes e valor do frete principalmente para produtos de baixo valor
  • Trocas e devoluções (em virtude do produto não ter servido ou ter chegado danificado)

Deixe uma resposta